• denuncias
  • peticionamento
  • Mediação
  • mov procedimentos
  • autenticidade de documentos
  • administracao publica
  • fraudes trabalhistas
  • liberdade sindical
  • meio ambiente
  • promocao igualdade
  • trabalho escravo
  • trabalho infantil
  • trabalho portuario
    • Selecao-de-estagio-2017-direito-JN-resultado-provisorio
    • plano trab escravo-01
    • Estudantes do Ceará vencem competição nacional do Ministério Público do Trabalho
    • Divulgado RESULTADO Provisório da Prova de seleção do Estágio em Direito - Juazeiro do Norte
    • Plano estabelece estratégias de combate ao trabalho escravo no Ceará
    • Transmissão de Cargo no MPT-CE
    • Exposição “Sobre o peso das correntes nos teus ombros” revela cenários do trabalho escravo no Brasil

    Nota Técnica do MPT pede rejeição ao relatório da reforma trabalhista

    Documento aponta que projeto tem inúmeras inconstitucionalidades e violações as convenções internacionais

    O Ministério Público do Trabalho (MPT) divulgou nesta segunda-feira (17) Nota Técnica nº 5 sobre o substitutivo ao Projeto de Lei nº 6.787/2016, que trata da Reforma Trabalhista. A nota, assinada pelo procurador-geral do Trabalho, Ronaldo Fleury, pede um debate mais amplo sobre o tema, a rejeição parcial da proposta e sua adequação nos aspectos apontados nesse documento. "A aprovação de medidas que alteram substancialmente a legislação trabalhista sem que outras perspectivas sejam materialmente consideradas, em nada contribui para a construção de um ambiente de pacificação social no país. Nesse sentido, é importante recordar do preâmbulo da Constituição da OIT, quando afirma que "a paz para ser universal e duradoura deve assentar sobre a justiça social", diz o documento.

    Segundo a nota técnica, o projeto suprime ou reduz diversos direitos sociais, como fim das horas in itinere e da integração de prêmios e abonos à remuneração; reduz o valor de indenizações por danos morais, proporcionalmente ao valor do salário contratual do empregado ofendido.

    Imprimir

    Um mês para lembrar as vítimas de acidentes de trabalho

    Campanha Abril Verde incentiva a prevenção para evitar mortes no ambiente de trabalho. O Brasil registra, em média, 700 mil acidentes por ano

    O Brasil registra uma média superior a 700 mil acidentes de trabalho por ano, desde de 2010, segundo dados da Previdência Social. Somente em 2014, foram 704 mil acidentes de trabalho, sendo 2.783 casos fatais e 251,5 mil que resultaram em afastamentos por período superior a quinze dias. Para combater essa realidade e chamar atenção da sociedade sobre a importância da prevenção, o Ministério Público do Trabalho (MPT) junta-se à campanha Abril Verde, dedicada à memória das vítimas de acidentes de trabalho. A abertura oficial será nesta quarta-feira (05), às 16h30, na sede da Procuradoria-Geral do Trabalho (PGT), em Brasília.

    Imprimir

    Cronômetro mede atraso na publicação da Lista Suja do Trabalho Escravo

    "Listômetro" é contador digital e também mostra há quantos dias Poder Executivo descumpre decisão da Justiça Trabalhista

     

    Brasília – O Ministério Público do Trabalho (MPT) acaba de lançar o "Listômetro". Um contador digital que mede há quantos dias o Ministério do Trabalho e Emprego vem atrasando a publicação oficial do Cadastro de Empregadores flagrados com mão de obra análoga à de escravo, conhecido como Lista Suja do Trabalho Escravo. A publicação da lista é uma política de Estado recomendada pelo Ministério dos Direitos Humanos e referendada pela Organização Internacional do Trabalho (OIT). Os empregadores arrolados na lista ficam impedidos de contratar com o governo e obter empréstimos financiados por instituições públicas.

    Imprimir

    Diário do Nordeste é condenado por coibir movimento grevista

    Indenização de R$ 200 mil será revertida ao movimento sindical

    O Ministério Público do Trabalho no Ceará (MPT-CE) obteve na Justiça do Trabalho a condenação do jornal Diário do Nordeste no pagamento de R$ 200 mil por danos morais coletivos, por violação à liberdade sindical durante greve dos trabalhadores gráficos, deflagrada em maio de 2012. A empresa contratara funcionários para substituir os grevistas, no exercício de atividade-fim.

     

    Imprimir

    • banner pcdlegal
    • banner abnt
    • banner corrupcao
    • banner mptambiental
    • banner email
    • banner radio
    • banner trabalholegal
    • banner audin
    • Portal de Direitos Coletivos